Microsoft Cloud Roadshow, dia 2

Segundo dia de evento. O tom foi de lançamentos, alguns ainda em desenvolvimento, alguns com versões preview liberadas, mas tudo na eminência de entrar em produção. Portanto, com tanta novidade é bom começar a se preparar e montar um backlog para se atualizar rapidamente. Automação de infra, ou infra por código, se você é um IT Pro, vai ser o mínimo. Usar containers ou um servidor mais leve, modular, como o Windows Nano Server, vai tornar realidade o tão sonhado provisionamento de infra just in time. IoT já não é mais uma palavra de makers, é tecnologia para empresas, e o Azure está envolvido. Big Data com Cortana? Já é realidade em algumas empresas.

Continue lendo.

Palestras

Transform big data into intelligent action with advanced analytics

Marcello Benati, Senior Advanced Analytics Product Manager, apresentou Cortana Analytics Suite, um produto baseado em Big Data e Machine Learning com aplicações reais em produção. Por exemplo, Darthmouth Hitchcock Medical Center monitora pessoas com problemas cardíacos através de Smart Bands, como Microsoft Band ou o Fitbit, e com uma balança com conexão wireless, dessas residenciais que se deixa no banheiro. A ideia é identificar pessoas que possam ter um aumento de peso de 1Kg em dois dias em alguma alteração na pressão cardíaca. Uma enfermeira recebe alertas em um dashboard, igual um alarme de roubo de carro, e pode interagir através da Cortana, essa mesma que está no seu computador, por voz! Veja o vídeo do case abaixo.

https://www.youtube.com/watch?v=-wVeHZNn8aU

O mercado de IoT é enorme.

Ele foi responsável pelo meu tuíte:

Vamos ver se vai rolar… Uma curiosidade: ele perguntou se usávemos Bing por aqui… silêncio sepucral no auditório! E disse, que o Bing é a maneira como a Cortana aprende, ou como ela é treinada… Se vocês não usam, então é por isso que não tem Cortana ainda. Ou seja, a Cortana aprende como os usuário buscam através do Bing e isso é o que alimenta ela, sem isso ela não funcionará direito no Brasil. Ou vão fazer na mão.

Developing apps for the Internet of Things

Nessa palestra o Olivier Bloch, Senior Program Manager in the Azure IoT team, mostrou o Microsoft Azure IoT Suite, que foi tema de um post meu da semana passada. Conheci algumas coisas, mas basicamente era o que eu vinha estudando e que vou compartilhar aqui no blog em breve.

Reforçando que a Microsoft entrou definitivamente no mundo de IoT, mas não com algum hardware e sim com a infra de cloud para suportar a coleta de dados. Dá uma olhada na arquitetura disponível:

Minimize reboots and improve security with next-gen server deployment

Essa palestra entregue pelo Vinicius Apolinario, Senior Product Marketing Manager, sobre Windows Nano Server foi… fantástica. Eu comecei a ler algum material, baixei a ISO, mas confesso que ainda não tive tempo para fazer uma lab, mas agora vou arrumar!

Se você já ouviu tempos atrás que a Microsoft buscava modularizar o SO, se ouviu sobre infra just in time; a hora chegou! Um dos meus assuntos atuais de estudo para me aprofundar e melhor o trabalho que desenvolvo como consultor de ALM é delivery, ou pipelines, ou automação de deploy; e cheguei no ponto que eu quero para cada entrega provisionar na hora a infra, just in time. Se ela já existe eu quero “jogar fora” e subir tudo novo. Como ele disse na palestra “pare de tratar o servidor como seu animal de estimação”, você pode apagar ele e subir um novo, é para isso que a virtualização server. “Ah, mas tem que configurar toda vez?” Não, tá aí o Powershell DSC, assunto da palestra abaixo, Cheff, Puppet, … “Ah, mas demora até subir uma nova instalação do Windows, mesmo scriptada…” Demorava, caro IT Pro… demorava!

As imagens não ficaram muito boas, mas em post futuros essa informações vão aparecer.

Números

  • Imagem do Windows com 400Mb, é menos consumo de storage para SO, e mais para sua aplicação
  • 20X menor que o Server Core
  • Tempo de provisionamento, alguns minutos, entre criar o VHDX, criar a VM, e ligar… Minutos!
  • O consumo… veja os gráficos abaixo

Com o baixo consumo e com menos paradas é a sua infra 24X7 de verdade. Ainda tem muita coisa para ser feita, o Windows AD, por exemplo, não roda, tem IIS, mas nem todas aplicações vão funcionar neste primeiro momento e talvez nem venham a funcionar, afinal, o peso que a Microsoft carrega por suportar compatibilidade com antigas tecnologias é enorme. IT Pro, quer largar na frente? Esse é o caminho.

Vai, DevOps!

Automate your way to higher impact in your organization

E para finalizar o dia não podia deixar de ter uma palestra de Powershell, afinal como comentei acime e outros palestras mencionaram no evento, infra como código é uma obrigação do IT Pro hoje. E o Hemant Mahawar, Senior Program Manager, entregou a palestra. Além da introdução legal para Powershell, que todo mundo já deveria ter, ele mostrou Powershell DSC, Desire State Configuration, que será tema de posts em breve aqui, e altamente ligado a infra just in time que comentei acima. E por fim falou sobre novidades como o Run Book no painel do Azure, que também irei blogar num futuro próximo.

WP_20160120_16_32_04_Pro_LI (2)

Ponto interessante, se você faz teste de unidade para o seu código da aplicação, por que não para o seu script Powershell? Pester, framework open source, fácil e adotado internamente pela Microsoft.

2 Replies to “Microsoft Cloud Roadshow, dia 2”

  1. Muito boa essa série sobre o evento. Estou tbm com o foco cada vez mais no release pipeline, e quanto mais me aprofundo, mais sou puxado por assuntos de “infra”, que no final das contas é o que Devops está aí para ajudar. Vendo essa movimentação toda, entendo que temos um caminho gigantesco de estudos e disseminação para aplicar essas melhorias. E isso é ótimo 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.